Melhores álbuns do primeiro semestre

O primeiro semestre do ano já acabou faz um tempinho. Setembro chegou, trazendo grandes promessas no ramo musical e algumas até já cumpridas. Mas vamos relembrar o que deu o que falar nos seis primeiros meses do ano. Muita coisas boa aos ouvidos, I mean, muita mesmo! Tanto que ao fazer essa lista os títulos não paravam de entrar, deixei alguns nomes propositalmente de fora, já que este é um post de duas partes ou três, quem sabe (ou não). Está em aberto a sessão de “sugestões” que você pode deixar nos comentários, ou no twitter, ou no facebook, ou por what’s app pra quem me tem por lá.

Desde já agradeço muito, aliás. Quanto mais música do ano, mais rápido alimento o tumblr 500 musics. Quem não conhece, está perdendo, pois não indico coisa ruim e todos sabem. Até agora nem cheguei na metade de 500 músicas, mas estamos na batalha. Muitas músicas dos álbuns que vou citar aqui já deram as caras no tumblr. Dezessete títulos foram selecionados para essa primeira parte. Confira lembrando que é uma lista pessoal, porém, de muito bom gosto, sendo modesto:

Segunda Pele, Roberta Sá
Lançamento: 24 de janeiro

Roberta Sá carrega em sua discografia canções maravilhosas e contagiantes,com o samba sendo característica marcante em seu trabalho. Em Segunda Pele não há peculiaridades da carreira que vem construindo que é cada vez mais consolidada. Segunda Pele é delicioso, começando com Lua, uma marcante canção onde faz parceiria com o grupo do marido Pedro Luís é talvez a mais diferente do disco (ao lado da melancólica Você não podia surgir agora). Roberta Sá fica nessa samba e MPB, não é novidade pra ninguém o quanto a voz dessa linda permanece sendo algo inacreditável, continua dando orgulho à música brasileira. Além das citadas, não deixe de escutar a música que dá título ao álbum, Pavilão de Espelhos, Altos e Baixos, Bem A Sós, O Nego e Eu e No Bolso. iTunes

Born To Die, Lana Del Rey
Lançamento: 31 de janeiro

Muita polêmica, muita confusão. Lana Del Rey já foi taxada de artista boom pré-fabricada pelo público que torce o nariz. Amada ou odiada, a péssima impressão que ela deixou cantando Video Games no SNL parece não importar muito à cantora já que tem lançado tantas canções novas todos os dias. Born To Die é excelente e viciante. Ou o contrário: horrível e pedantíssimo. Fico com aqueles que se apegaram bastante ao álbum, não dá para negar a dependência instrumental do álbum, além da voz preguiçosa de Lana dando uma característica essencial às músicas, em sua maior parte melancólicas. National Anthem é a melhor de todas entre uma coletânea incrível como Dark Paradise, Su-su-summertime Sadness, Radio, Without You, Blue Jeans etc… O álbum só melhora cada vez que escuto. Evito, porém, qualquer faixa cantada ao vivo para evitar desapontamentos. Lolita Carmen são as faixas que mais desgosto e, portanto, nunca recomendo. iTunes

Tramp, Sharon Van Etten
Lançamento: 6 de fevereiro

Coisa boa é colocar Tramp para rodar e começar a chorar. As letras desse álbum são carregadas de sofrimento, dor e ascensão, e o violão de Sharon é extraordinariamente marcante, não mais que sua voz. Outra obra-pima entregue logo no começo do ano, num ano em que a concorrência de vocalistas femininas está acirrada, Sharon se destaca com folga. É difícil até escolher uma faixa favorita, muito por conta da sequência das músicas tão bem colocadas. Maravilhas que vão te fazer mal como All I Can ou te fazer bem como Serpents. E entre dois picos que fica a terrível decisão de escolher minha favorita. Na dúvida, escute o álbum todo. iTunes

Sweet Sour, Band of Skulls
Lançamento: 7 de fevereiro

Depois de um excelente álbum de estreia, Band of Skulls retorna com Sweet Sour em grande estilo. O álbum traz excelentes músicas de um gênero  atualmente um pouco ofuscado pelas várias bandas do sub-gênero indie. Como não amar Bruises The Devil Takes Care of His Own? O disco vem com um conjunto impressionante e mantém um estilo já marcante da banda. Vale a pena ouvir também a própria Sweet Sour, o desabafo em Wanderlust, a conformista Lay My Head Down, além de Lies e Navigate completam o arcodas melhores canções de Sweet Sour. iTunes

Put Your Back N 2 It, Perfume Genius
Lançamento: 17 de fevereiro

A áurea melancólica de Put Your Back N 2 It é o que há de mais marcante no álbum. É normal sentir-se imediadamente apazigado com os primeiros acordes de piano que introduzem AWOL Marine, e não se pode esperar outra reação que não seja essa. AWOL Marine, no entanto, nem se aproxima da qualidade das músicas que seguem. Normal Song faz um voz e violão espetacular, funcionando tão perfeitamente bem. Put Your Back N 2 It não possui nenhuma música maior que quatro minutos, algo ótimo para não cansar com repetições desnecessárias. O ápice do álbum é alcançado em Dark Parts, onde tudo que funciona individualmente tão bem no álbum é usado coletivamente nessa faixa e o resultado não poderia ser melhor. Além, é claro, de Dark Parts fecha de uma maneira tão sincera em sua letra. As três melhores músicas do álbum estão em sequência. Logo depois de Dark Parts, vem All Waters e Hood. O single Take Me Home não é de longe a melhor do disco.  iTunes

Roses, The Cranberries
Lançamento: 28 de fevereiro

Depois de um hiato de onze anos do lançamento do último álbum da banda e um tempo que serviu para Dolores O’Riordan dedicar-se a sua carreira solo, a banda irlandesa The Cranberries retoma a atividade e de maneira triunfal com Roses. Começando com Cunduct, Roses tem o que de melhor The Cranberries já ofereceu no single TomorrowWaiting In WalthamstowShow Me e Schizophrenic Playboy. Indispensável. iTunes

WZRD, WZRD
Lançamento: 28 de fevereiro

Não sendo muito fã de rap não foi rápida a identificação com WZRD que aconteceu em Teleport 2 Me, música viciante que usa acordes de Under Your Spell (Desire, presente na trilha do filme Drive). WZRD não é só Teleport 2 Me. The Arrival introduzindo o álbum é no mínimo espetacular. E vem na frente a frenética Love Hard, Where Did You Sleep Last Night?, e High Off Life. Há outros belos destaques como a própria Love HardEfflictim, mas sempre acabo insistindo em Teleport 2 Me que em vários dias aquele refrão se faz extremamente apropriada e necessário. iTunes

Happy To You, Miike Snow
Lançamento: 13 de março

Happy to You é o melhor álbum do semestre. Sua qualidade é extrema. E talvez por isso é tão difícil resenhar sobre a obra. Eles são os caras responsáveis por coisas tão boas como Silvia e Animal. A banda tem um estilo weirdo, misturando recursos eletrônicos e é exatamente isso que mais gosto/procuro. Happy To You está recheado de coisas lindas. A contagiante Archipelago se destaca no meio de tanta coisa boa. Mas é tão difícil decidir isso tendo uma participação de Lykke Li na canção seguinte. Black Tin Box também destrói. Mas também Vase e Pretender merecem um devido destaque. Aqui vale a mesma dica dada em Tramp da Sharon Van Etten: na dúvida, escute tudo. Pois garanto, não há arrependimentos. iTunes

Port of Morrow, The Shins
Lançamento:
20 de março

Port of Morrow não me causou um instâneo apego. Não o álbum todo pelo menos, pois pouco dei importância. Só pensava em ouvir as excelentes Simple Song e The Rifle’s Spiral e fiquei preso nessas duas por muitos dias, principalmente Simple Song. Basta dar mais atenção ao álbum que você muda de ideia rapidamente e descobrir outras qualidades no álbum como It’s Only Life e Bait And Switch. É possível que após outra revisão, outro vício seja descoberto. iTunes

Holy Weather, Civil Twilight
Lançamento:
26 de março

Fire Escape! Tá pra existir refrão que mais define a vontade de sair correndo feito louco e gritando “We were promised more than we could take. Everybody out it’s a fire escape”. Daí poucas faixas depois It’s Over te deixa um lixo e com vontade de voltar pra casa e chorar. Porque é uma canção que relata perfeitamente o quanto lembranças de um relacionamento acabado podem fazer mal e bem ao mesmo tempo. E o disco fica entre esses polos de sentimentos o que é ótimo e o que mais me agradou na realidade. iTunes

Blunderbuss, Jack White
Lançamento: 23 de abril

Eu não preciso de nenhum argumento para convencê-lo que escutar Blunderbuss é essencial para sua vida. Jack White é um gênio da música. Coloquem uma guitarra nas mãos desse cara e o resultado é uma obra-prima. Além de tudo Blunderbuss é agarrado a uma dependente relação com o piano. Trash Tongue Talker é coisa de gênio como White mesmo, e a lista de genialidades apenas nesse álbum não se reduz. Nada é dispensável. O disco é redondinho, com presentes como: Freedom at 21Sixteen SaltinesMissing Pieces, Love Interruption, I’m Shakin’ e se eu continuar cito todas as faixa. E não chega a ser exagero. Longe, bem longe disso. iTunes

Given To The Wild, The Maccabees
Lançamento: 24 de abril

Um dos meus álbuns favoritos no ano foi também um dos primeiros que conferi. Given To The Wild é surreal. Outra banda que não conhecia era The Maccabees e esse novo trabalho dos britânicos me conquistou na hora. Aqui nenhuma música é fraca. Given To The Wild (Intro) já é uma entrada triunfal e contagiante, mesmo vocais pouco presentes nessa faixa é impossível não se manifestar de forma diferente que não seja sorrindo com tanta carga emocional bacana que só umafaixa introdutória pode fazer. Aí sim, Child começa e não dá para parar mais. Depois de Feel to Follow (com um solo fantástico no final, aliás) vem Ayla, uma das músicas que mais tenho escutado nos últimos meses. É também uma das dez melhores do ano. E os absurdos de qualidade não param por aí. A sequência matadora de Heave, Pelican, Went Away e Go trazendo solos (sempre) ótimos. Grew Up At Midnight fecha o álbum tão bem que só vem o pensamento de como deve ser interessante um show desses caras (que virão ao Brasil em outubro pro Festival Planeta Terra). iTunes

Little Broken Hearts, Norah Jones
Lançamento: 27 de abril

Little Broken Hearts é outro exemplo de álbum que melhora cada vez que você dá uma revisão. Norah Jones está fantástica e prova disso está em Good Morning, Travelin’ On, Say Goodbye, She’s 22, Take It Back, Happy Pills, Miriam. Queria poder elogia mais o disco, mas nem preciso, só dizer que Norah Jones continua sem errar. E que nunca erre. iTunes

Strangeland, Keane
Lançamento: 8 de maio

Keane voltou a ser Keane! Strangeland é delicioso de ser escutado. A versão deluxe inclui a música que nomeia o álbum. É meio… estranho. Strangeland no meio das outras faixas não condenaria a versão normal do álbum, na verdade, só melhoraria, é uma excelente canção. Entre as cinco faixas bônus Run With Me é a melhor. Já falando do canções da versão simples é difícil decidir entre Disconnected, You Are Young, Silenced by The Night e Sovereign Light Café, mas é mereceido todo e qualquer elogio a esse álbum incrível que melhorou ainda mais depois da descoberta das cinco faixas. iTunes

Arrocha, Curumin
Lançamento: 5 de junho

Arrocha é exótico. E desde a capa linda e atrativa do álbum. Cheia de composições fantásticas com presença eletrônia pertinentes acomanhando a percussão. Arrocha é Brasil em sua essência. Colorido como a capa e frenético. Ouvir Afoxoque, Selvage e Treme Terra em sequência é altamente recomendável. Aliás, um defeito do disco pode ser esse das canções não funcionarem bem sozinhas, o poder conjunto conta muito aqui e toda hora. Com algumas exceções como a ótima (e talvez por isso a melhor) Vestido de PrataiTunes

Synthetica, Metric
Lançamento: 12 de junho

O álbum mais viciante do ano. A primeira faixa de Synthetica, Artificial Nucture já começa sendo direto. “I’m just as fucked up as they say”, diz o primeiro verso da letra. Já estamos confinados a ouvir o álbum todo. Muito disso se dá mesmo pelo ritmo que o disco tem: uma ótima sequência de uma crescente qualidade. Durante muitos dias é difícil escolher sua favorita. Breathing Underwater é provavelmente a minha escolha, com The Wanderlust correndo por fora.   iTunes

The Idler Wheel…, Fiona Apple
Lançamento: 19 de junho

Fiona Apple pode ficar até dez anos sem entregar coisa nova se sempre ela entregar trabalhos tão incríveis como é (e lá vai o título interminável) The Idler Wheel Is Wiser Than the Driver of the Screw and Whipping Cords Will Serve You More Than Ropes Will Ever Do. Ela começa Every Single Night, a partir daí eu desafio alguém encontrar um erro sequer em tudo. Favorita: Hot Knife! iTunes

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s